Author Archives: tomas

Perdeu o seu voo – e agora?

Flug-verpasst

Acontece mais depressa do que se pensa. Está no seu caminho para o aeroporto e deveria ter tido tempo suficiente para lá chegar. No entanto, está preso no trânsito e vai perder o seu voo. Uma criança doente ou uma mochila esquecida também podem contribuir para que o perca. Neste caso, é necessário que se mantenha calmo e que tente solucionar o seu problema.

Deve dirigir-se ao balcão da companhia aérea de imediato para que eles lhe possam reservar um novo voo. No entanto, este procedimento tem, normalmente, custos associados.

O ideal é que contacte a sua companhia aérea assim que perceba que vai perder o seu voo. Assim, esta pode tentar alterar a sua reserva. Deverá prevenir-se, uma vez que lhe podem ser cobradas taxas adicionais.

Se pretender assegurar-se e evitar pagar taxas adicionais desde o início, deverá reservar um voo em que seja possível o cancelamento de última hora sem custos associados. Estes bilhetes normalmente são mais caros do que um bilhete normal.

Perdeu o seu voo de ligação?

O Tribunal Regional de Berlim estabeleceu que os viajantes têm direito a receber uma compensação financeira no caso de perderem um voo de ligação devido ao atraso do voo anterior. Tal também se aplica nos casos em que o voo é operado por uma companhia aérea diferente.

O seu comboio estava atrasado?

O que acontece no caso de perder o seu voo devido a um atraso no seu comboio? A empresa ferroviária não é obrigada a reembolsa-lo. De qualquer forma, pode contactar a companhia aérea e esperar que lhe mostrem boa vontade.

Existe, no entanto, uma exceção: se reservou o chamado bilhete Rail & Fly e perdeu o seu voo devido a um comboio atrasado, a agência onde comprou o bilhete terá que reembolsá-lo. Em 2010, o Tribunal Federal de justiça decidiu que as agências de viagens que incluíssem viagens de comboio nas suas ofertas, eram responsáveis nestes casos.

Doença?

No caso de doença, aplicam-se regras semelhantes. Se a companhia aérea não estiver disposta a recebe-lo, irá cobrar taxas adicionais pela alteração da reserva. Se perceber antecipadamente que não irá conseguir viajar, poderá ser capaz de cancelar o voo. Deve verificar se tem seguro de desistência de viagem e que consequências poderá ter caso cancele a sua viagem.

Por último, no caso de ter perdido o voo por culpa sua, não terá direito a reembolso. A companhia aérea também não é obrigada a alterar a sua reserva, tanto no caso de cobrarem uma taxa adicional ou não. Quaisquer taxas ou impostos adicionais que já tenha pago, terão que ser reembolsados.

As companhias aéreas raramente reembolsam o cliente de forma automática. Normalmente tem que submeter um pedido de reembolso, o qual é normalmente ignorado. A tenacidade compensa. Na Alemanha, tem normalmente três anos para apresentar a sua reclamação.

Pokémon Go e os seus riscos

Pokémon-go

“Apanhe-os todos” – mas a polícia quer que esteja consciente dos riscos. Pode encontrar jogadores de Pokémon Go em todo o lado – no metro, no caminho para o trabalho, no parque, entre jovens e idosos. A aplicação para smartphones é extremamente popular, mas os seus utilizadores deveriam estar conscientes dos riscos legais. O que precisa de saber? Será que o seu seguro o ajudará caso ocorra algum acidente na sua aventura do Pokémon Go? „

Privacidade

A aplicação solicita acesso:

  • À câmara (neste jogo, os Pokémons são inseridos em imagens ou vídeos dos arredores)
  • Ao sinal GPS (isto permite que a aplicação conheça a sua localização no mundo real e, portanto, no jogo)
  • Ao armazenamento do dispositivo (para aceder a imagens antigas)
  • À lista de contactos (para que se possa ligar aos seus amigos)

Isto dá à Niantic, a empresa por trás do Pokémon Go, acesso a uma grande quantidade de informação pessoal dos seus utilizadores. Os dados recolhidos pertencem à Niantic e podem ser partilhados com outras empresas no caso de ocorrer uma fusão ou uma aquisição.

A aplicação permite que a empresa reconheça um dispositivo com cada login. A Niantic pode também conhecer a sua localização a qualquer momento, uma vez que apenas pode caçar Pokémons com a localização ativada no seu telemóvel. A companhia afirma que esta informação é utilizada para personalizar a aplicação. No entanto, todos os dados pertencem à empresa e podem, potencialmente, ser partilhados com governos, autoridades públicas ou entidades privadas.

Direitos pessoais

É claro que não é necessário tirar uma fotografia aos Pokémons nas chamadas PokéStops, mas é muito tentador. Deverá garantir que mais ninguém aparece nestas fotografias, especialmente se pensar em partilha-las nas redes sociais. Poderão haver consequências por partilhar estas imagens sem consentimento.

Segurança

O Pokémon Go é um fenómeno global. Pode ver as pessoas a olhar para os seus telemóveis enquanto andam à caça do seu próximo Pokémon. Isto, muitas vezes ignorando completamente os espaços que as circundam. Apesar da sua paixão por Pokémons, deve permanecer alerta para potenciais perigos como trânsito, objetos no seu caminho bem como outras pessoas. Áreas isoladas também podem ser perigosas e deve evitar caçar Pokémons sozinho à noite.

Seguro

Se algo correr mal durante a sua caça aos Pokémons, o seguro de responsabilidade normalmente cobre os danos. Nota: se for atropelado por um carro enquanto joga Pokémon Go, o seguro automóvel do condutor poderá alegar que também é culpado. Isto poderá resultar numa indemnização de valor inferior. Se os seus hábitos de jogo tiverem provocado o acidente, poderá inclusive ser processado. Portanto, mantenha as suas mãos no volante e os seus olhos na estrada. Pode caçar Pokémons mais tarde.

Fraudes: como reconhecê-las e proteger-se II

fraude portugal

Das inúmeras fraudes que lesam o consumidor, anualmente, se contam histórias, mais ou menos bizarras. A necessidade, aliada à crise económica e ao desemprego, acaba por levar os indivíduos a participar em situações, que noutras condições, não ponderariam sequer tomar parte ou aventurar-se.

Trabalho remoto

Os índices de desemprego e a necessidade de encontrar trabalho dão azo a inúmeros anúncios através dos meios de comunicação, que acabam invariavelmente por trazer mais prejuízo que lucro. As pessoas carenciadas são um alvo fácil para os originadores destes anúncios, sendo estes usualmente requerem uma pequena taxa para facultar mais detalhes sobre a excelente oportunidade ou completar uma pequena subscrição que lhe garanta o acesso. O propósito deste tipo de esquema é gerar seguidores, alimentando a ideia de lucros rápidos e fáceis.

Quais os sinais de alarme?

a) certifique-se da legitimidade da empresa/oportunidade (registo comercial, morada, etc.);

b) confira os contactos disponíveis (telefone, email, etc.);

c) verifique referências de terceiros com experiência comprovada;

d) reveja possíveis queixas, se as houver, sobre a entidade em questão.

Todos os pontos enunciados poderão permitir certificar-se que não é uma fraude, sobretudo se lhe tiver sido solicitado algum tipo de pagamento em avanço.

Negócios automóveis

O automóvel com que sempre sonhou está disponível pela internet, pedem-lhe apenas um pequeno montante para que o mesmo seja expedido para o país. E depois uma quantia para tratar de questões alfandegárias. E o valor necessário para completar o registo e a legalização do veículo. No final desta odisseia, o vendedor fica subitamente incontactável e, embora tenha tido todos os indícios de que estava a ser burlado, acreditou no sonho, do qual acorda com menos ilusões e uma carteira mais vazia.

Quais os sinais de alarme?

a) o preço do veículo é demasiado baixo atendendo às suas caraterísticas originais:

b) não está contemplada a hipótese de ver e testar o carro antes de concretizar a compra;

c) a viatura é entregue depois da confirmação do pagamento (não no ato nem de imediato);

d) há um intermediário a realizar as transações, que não é o proprietário e/ou vendedor.

Não ceda a pressões. Leve o veículo para diagnóstico num stand da marca. Confirme a identidade do vendedor. Recuse qualquer proposta que não inclua despesas intermédias adicionais no contrato.

Esquema da Dona Branca

Tipo de fraude badalada e conhecida, tem por objetivo principal desmultiplicar o dinheiro com um pequeno investimento inicial. A sequência iniciada pressupõe que estejam sempre a entrar novas pessoas para o círculo, para alimentar o fluxo, mas para que a maioria lucre, é necessário esse fluxo se renove e multiplique. Contudo, quanto mais pessoas ficarem envolvidas, menor a probabilidade de reaver o dinheiro investido.

Quais os sinais de alarme?

a) é oferecido um bónus pecuniário na angariação de novos participantes;

b) o projeto é promovido mediante bens e/ou serviços de baixo valor;

c) se tiver como pressuposto a aquisição de algo (bem ou serviço) supérfluo.

Isto são indícios do denominado esquema em pirâmide. Procure aconselhamento especializado sobre a proposta.

Produtos extraordinários

Qual de nós nunca imaginou curar uma série de sintomas vários com apenas um comprimido? Todos queremos produtos que façam mais e melhor e somos vulneráveis ao tipo de publicidade que representa a imagem daquilo em que nos queremos tornar. Num mundo em que a tecnologia avança, por vezes com resultados ainda por comprovar.

Quais os sinais de alarme?

– o produto é alegadamente eficaz contra um espetro inusitado de doenças;

– o diagnóstico é feito mediante um questionário, seguindo-se um aconselhamento e prescrição imediata;

– o produto não se consegue adquirir se não for especificamente encomendado por aquela via;

– não há uma relação direta ou científica entre sintomas que pretende tratar e os benefícios que alegadamente proporciona.

Antes de adquirir um produto, nestas condições, ou iniciar um tratamento nestes moldes, procure aconselhamento médico especializado.

Fraudes: como reconhecê-las e proteger-se

Onlinebetrug

São anualmente denunciadas inúmeras fraudes que lesam o consumidor, de forma direta – financeiramente – ou indireta – apropriação de dados pessoais. Entre os casos mais comuns conta-se também o acesso ilegítimo a contas de correio eletrónico e contas bancárias online.

Como reconhecê-las

Correio eletrónico

Atualmente, o correio eletrónico é um dos meios mais utilizados para fraude, sobretudo cenários em que são prometidos prémios, postos de trabalho ou meios simples e rápidos de fazer dinheiro. Na sua maioria, pedem um investimento inicial por parte do destinatário da comunicação e pressupõem uma inscrição, pagamento ou que sejam facultados dados pessoais.

Reservas virtuais em hotéis

Uma das queixas mais frequentes tratadas pela Defesa do Consumidor relaciona-se com vendas e reservas de hotéis realizadas através da internet. Os consumidores fazem reservas em hotéis, mas não o fazem através de uma agência online, optam por fazê-lo diretamente num site do estabelecimento. Após o pagamento, descobrem que na realidade o hotel não existe ou o próprio hotel, quando confrontado, desconhece a reserva, porque a mesma não foi feita no site verdadeiro. 

Vendas enganosas por telefone

O telefone é ainda o meio preferido para práticas comerciais desleais e vendas enganosas, sobretudo as que têm por alvo o público idoso. Como exemplo, temos o convite telefónico para visitar determinado hotel ou espaço semelhante por ter ganho um prémio, mas no local descobre que o propósito é fazê-lo adquirir algo, e não receber. Não sendo propriamente burla ou fraude, esta postura é considerada prática desleal – o consumidor assina um contrato, adianta uma entrada ou assina um contrato de crédito e fica com um serviço associado, mas foi inicialmente induzido em erro. Outro exemplo é o telefonema típico que convida a realizar um rastreio de saúde num espaço duma associação designada (bombeiros, por ex.). Ao chegar ao local, descobre que o espaço foi alugado por terceiros – uma empresa que vende aparelhos auditivos, eletromagnéticos ou de massagens. 

Fraudes financeiras mais comuns

Não sendo novidade, as fraudes financeiras mais comuns são no formato pirâmide. Prometem dinheiro fácil, mediante um pequeno investimento inicial, sendo que a recompensa chega após aliciar mais pessoas para o círculo. Não sendo propriamente ilegais, entram na categoria de burla, pois não há qualquer serviço associado e a intenção é movimentar dinheiro até que eventualmente alguém o deixa de receber.

Redes sociais: cuidado com o que compra

Redes sociais como o Facebook, extremamente populares entre os consumidores, são o meio preferido para divulgação de burlas, por serem uma via fácil de comunicação. As principais queixas que chegam aos ouvidos da Defesa do Consumidor são sobre vendas. Quando alguém vende na sua página do Facebook, não é comerciante nem empresa, o que significa a ausência de uma estrutura que permita ao consumidor apresentar reclamação.

Como proteger-se

– Não digite dados pessoais nos sites. Quando é necessário registo, opte por não apresentar informação pessoal como por exemplo a morada completa, senhas de acesso à internet e realizar o upload de documentos de identificação.

– Se fizer compras em sites localizados fora da União Europeia, faça-o nos que têm credibilidade. Dentro da União Europeia, existem regras comuns: o direito de livre resolução e a possibilidade de recurso ao sítio europeu do consumidor. Fora da UE, o consumidor terá de reclamar sozinho ou constituir advogado, o que transforma a reclamação num processo complicado.

– Caso seja necessário realizar pagamentos, escolha o envio à cobrança ou pagamento no multibanco. Se ainda assim quiser fazer o pagamento online, opte pelo Paypal, uma conta virtual ou um cartão de crédito virtual. Isto suprime a necessidade de digitar dados da sua conta bancária ou de cartões de crédito.

– Se optar por usar o cartão de crédito, a Defesa do Consumidor recomenda usar apenas um para compras online, com um plafond pequeno e a verificação periódica do extrato. Se surgir alguma irregularidade, deve comunicá-la imediatamente ao banco.

– Ao realizar pagamentos pela internet, antes de inserir os seus dados, confirme se o site tem um cadeado: é sinónimo de pagamento seguro. Se não tiver, não é bom sinal.

– Quando utilizar o homebanking, aceda pelo próprio site, e nunca por links que podem levá-lo a sites parecidos com o genuíno, mas que na verdade são cópias: tudo o que introduzir nestas páginas está a ser copiado.

– Assegure-se que tem instalado um antivírus atualizado.

– Num cenário de burla, peça conselho a outrem: um familiar ou uma organização. Se assinou um contrato, exponha o assunto com a maior brevidade a uma associação de defesa do consumidor ou alguém que o possa esclarecer. Quanto mais cedo, melhor. Em situações extremas, exponha o caso às autoridades.

Cancelar ou Mudar de Operador Móvel

Cancelar ou Mudar de Operador Móvel

Nalgum ponto da sua vida vai querer cancelar o seu operador móvel porque não está satisfeito com (ou utiliza) o serviço, ou se encontrou uma oferta melhor noutro sítio. Não é novidade que os operadores podem frequentemente dificultar este processo e fazer tudo o que puderem para o manter a si e ao seu dinheiro. Nalguns casos, isso pode acabar numa renegociação vantajosa da oferta, mas noutros pode ser apenas irritante.

Termos Contratuais

Se tiver um contrato, normalmente haverá um período definido que é o tempo de duração. Pode variar entre 6 meses a 2 anos. Usualmente, um contrato mais longo é menos dispendioso. O ponto principal é que não pode cancelar o contrato durante este período a menos que pague a quantia relativa ao período restante.

Por exemplo, se o período mínimo de contratação é de um ano e pretende terminar 6 meses antes, tem que liquidar os 6 restantes de pagamentos mensais num montante fixo. Nalguns casos, poderá também ser cobrada uma taxa adicional de cancelamento, ou em vez da referida quantia.

Por este prisma, pode simplesmente optar por manter o pagamento mensal e realizar outro contrato junto com o decorrente, ou simplesmente aguardar até que o contrato termine antes de mudar.

Portanto, é importante pesquisar antes de assinar um contrato para se certificar que tem o melhor negócio possível.

(NOTA: Alguns operadores exigem que lhes faculte X de dias de aviso prévio antes do cancelamento, ou seja, se pedir para cancelar após a emissão da fatura mensal, pode acabar por ter de pagar mais um mês).

Período de Reflexão

Se tiver acabado de iniciar um contrato, mas encontrar uma oferta melhor noutro sítio, pode recorrer ao direito de cancelamento com base no “período de reflexão”. O operador pode ter o seu próprio período, mas a legislação define-o num mínimo de 14 dias seguidos. Se não estiver satisfeito com o serviço, pode cancelar sem perguntas dentro deste período de 2 semanas, independentemente do período mínimo de contratação.

Aumento de preços e Violações

Se o seu fornecedor de serviço aumentar o preço estabelecido no contrato sem motivo ou violar o contrato de alguma forma, pode recorrer ao direito de cancelar gratuitamente, independentemente do prazo mínimo estabelecido.

Manter o seu número

Se tem um SIM (cartão) recarregável, não há necessidade de cancelar pois só paga se o utilizar. No entanto, se deseja portar o seu número ou contrato para um novo operador, há alguns trâmites a percorrer. Primeiro, vai precisar para pedir à rede original a portabilidade e, para tal, deve dar iniciar esse processo com o seu novo operador. Normalmente deve pedir a portabilidade em simultâneo com o cancelamento.

Cancelamento

Cada operador terá um método de cancelamento preferido diferente. Pode ser tão simples como cancelar através de um registo online. No entanto, geralmente, vai perder algum tempo ao telefone pois será persuadido a ficar. Seja firme e persistente e, eventualmente, será dado seguimento ao cancelamento. Nalguns casos, pode-lhe ser feita uma oferta igual ou superior ao operador para o qual pretende mudar, e nesse caso esse telefonema pode não significar de todo más notícias.

Use seu telefone no estrangeiro sem destruir o seu saldo bancário

Use seu telefone no estrangeiro sem destruir o seu saldo bancário

Embora o processo esteja a ficar mais fácil, especialmente se estiver dentro da Europa, usar o seu telemóvel no estrangeiro pode ficar muito caro se não planear com antecedência. Nalguns países pode ser taxado entre €0,25 a €1,65 por cada 100KB!

As taxas extras em que possa incorrer são por causa do roaming. Isto ocorre quando realizar chamadas, sms ou usar os dados do seu telefone fora da área de cobertura da rede. Eles terão um acordo com os fornecedores locais para manter o seu serviço funcional, mas será a um custo premium.

Por isso, é importante que aceda ao site do seu operador ou que o contate diretamente para determinar exatamente em quanto vai ser cobrado pela utilização do seu tarifário atual no país de destino. Precisa confirmar o custo de fazer ou receber chamadas, mensagens, pois pode ser cobrado por ambos. Isto também se aplica mesmo que esteja a usar um plano que inclua chamadas gratuitas ou mensagens ilimitados. Fora de Portugal, as regras mudam completamente.

Nos últimos anos, as redes têm melhorado muito no que concerne a promoções especiais e tarifas para os que viajam para o estrangeiro, desde que defina os pressupostos previamente. Isso pode variar desde um “aditivo” ou “acordo”, a um cartão SIM temporário. Pode até decidir adquirir um cartão SIM recarregável de uma rede local da região, ou seja, só pagará as tarifas de chamadas locais.

União Europeia

Graças à legislação da UE, o custo de usar o telefone dentro dos países europeus é agora bastante razoável. Por lei, o seu operador tem que ter uma eurotarifa transparente, que é de cerca de €0,24 por minuto para chamadas, €0,07 para mensagens de texto, e os dados geralmente €0,25 por MB. Sobre essas tarifas básicas, cada operador geralmente têm outras opções, dependendo das suas necessidades enquanto utilizador.

Dicas para manter a faturação baixa

Desligar os dados: Este é o erro mais comum e o maior que as pessoas cometem quando viajam para o exterior – esquecer-se de desligar os dados. Os smartphones fazem downloads e acedem a todo o tipo de coisas como atividade de fundo, de modo que a fatura pode aumentar seriamente se estiver fora de Portugal. Em vez disso, pesquise de antemão se há algum ponto Wi-Fi gratuito na área, ou questione o seu operador se pode obter um plano de dados especial para a viagem. Pode também querer desligar aplicações que utilizam dados e desativar as atualizações automáticas, que podem consumir centenas de MB.

Carregar entretenimento de antemão: Se quiser ouvir a música, podcasts, ou assistir a alguns filmes no seu dispositivo enquanto goza as suas férias, porque não carregar tudo antes de partir para não ter necessidade de usar os dados lá fora?

Medidas de segurança: Pior do que perder o seu telemóvel no estrangeiro é perdê-lo e receber uma fatura de valor massivo, porque um ladrão usou o seu pacote de chamadas, mensagens e dados. Hoje em dia, existem todos os tipos de aplicativos de segurança que podem bloquear as funções se o seu dispositivo desaparecer, mas não se esqueça do básico como uma senha para bloquear o ecrã, ou um código (PIN) para usar o SIM.

O Ecrã do seu telemóvel pode prejudicar o seu sono: como corrigi-lo

O Ecrã do seu telemóvel pode prejudicar o seu sono- como corrigi-lo

Usa o seu telefone muito à noite ou mesmo diretamente antes de dormir? Essas atualizações de status ou verificações de e-mail antes da sua cabeça encostar ao travesseiro podem perturbar seriamente a sua capacidade de dormir, de acordo com os especialistas. É claro que muitos de nós temos problemas de sono, mas se isto lhe toca, o culpado pode ser a luz azul que é emitida a partir das cada vez maiores e definidas telas HD dos nossos smartphones.

As pesquisas sugerem que este tipo de ecrãs utiliza algo conhecido como ondas curtas de luz azul, que pode alterar o seu relógio biológico interno. Os humanos evoluíram para reconhecer a hora do dia através da luz que brilha nos seus olhos. Quanto a escuridão começa a cair e menos luz entra nos olhos, a melatonina – produto químico do cérebro – é produzido e isto ajuda-nos a adormecer.

Olhar para os nossos telefones suprime a produção de melatonina e mantém-nos em modo de alerta, tornando mais difícil adormecer e permanecer no sono. Os dados mostram que o uso do seu telefone diretamente antes de dormir pode mantê-lo acordado por mais uma hora. Além disso, se este é um hábito regular, você pode ter menos sono REM, uma fase importante do sono onde as memórias são armazenadas.

Os cientistas também acreditam que a luz azul pode prejudicar os nossos olhos, embora sejam necessários estudos de longo prazo para explorar mais este assunto.

Antes de atirar o seu equipamento caro pela janela fora, há uma solução para este tipo de distúrbio do sono que vem na forma de uma aplicação. (Afinal os telefones não são tão maus).

O Crepúsculo parece ser o mais popular no momento, mas há muitos outros que fazem algo semelhante. Usado manualmente ou emparelhado com o relógio interno do seu telefone, a aplicação adiciona um filtro vermelho simples sobre a tela para modificar a luz azul. Claro que isso significa que vai notar uma tonalidade vermelha por todo e ecrã, mas é subtil e é fácil acostumar-se, a menos que pretenda assistir a um filme. Na verdade, se a luz azul voltar, pode até achar o azul irritante.

Estas aplicações não só tratarão da remoção dos efeitos invisíveis da luz azul, mas também irão reduzir o brilho, o que por sua vez irá reduzir a tensão ocular regular.

O Crepúsculo, umas das aplicações mais avançadas, que também tem uma edição premium, pode ajustar automaticamente a quantidade de luz vermelha e azul com base nos dados do nascer e pôr do sol locais. Outra aplicação chamada CF.lumen afirma ser capaz de preservar os detalhes que às vezes é perdido com outras aplicações, como o preto que parece vermelho escuro.

Devido a esta notícia, os developers de smartphones estão a contemplar criar ecrãs que reduzem a luz azul como padrão, sem arruinar a experiência de alta qualidade do monitor.

No entanto, apesar de tudo isso a luz azul não é inerentemente nociva. Embora má para o sono, os pesquisadores acreditam quando bem usada pode ser tão boa como uma chávena de café, no sentido de o conseguir por em movimento logo de manhã.

O que fazer quando não tem rede suficiente no seu telemóvel

O que fazer quando não tem rede suficiente no seu telemóvel

Quando estiver a escolher um telemóvel você deve verificar se esse terá sempre um sinal que seja adequado – que é mostrado como pequenas barras verdes. Quanto menor for o sinal, a qualidade das chamadas serão menores também e poderá até não conseguir realizar uma. Devido a isso, também o 3G poderá ser afectado.

A qualidade do sinal depende no local onde vive mas também da cobertura da rede. Por exemplo, a sua operadora pode dar-lhe um bom sinal onde teria um mau sinal com outra operadora.

Também existem outros fatores que determinam a qualidade do sinal, como você estar no metro, numa zona bem ocupada, a viajar, etc. Os edifícios podem também prejudicar o sinal visto que as paredes agem como barreiras ao mesmo.

Antes de escolher qual é a operador que quer, o melhor é consultar qual é a melhor na sua área de residência, para ter um sinal melhor e rede também.

O que fazer se a sua operadora não lhe consegue fornecer um bom sinal?

O que deverá fazer em primeiro lugar, caso não tenha um bom sinal de rede é contactar a sua operadora. Poderão ser-lhe dadas dicas para melhorar o sinal. Se isso não resultado, pode fazer uma reclamação porque os serviços prestados não estão de acordo com o contracto que fez, especialmente se lhe prometeram ter um bom sinal de rede nos termos e condições do contracto.

Caso não haja nenhuma forma de resolver tudo isto, o contracto poderá terminar sem ter de pagar mais nada nem taxas, mesmo que houvesse um período de tempo especifico até o contracto terminar. Existem redes que não têm soluções nenhumas para o aumento do sinal, seja em que local for. Se for preciso, existe uma caixa que lhe fornece esse sinal que pode ser instalada na sua casa ou até no telhado.

Fazer reclamações do sinal

Se já contactou a sua operadora e não está satisfeito com o apoio que teve, ou se não houve nenhuma solução, poderá fazer uma reclamação ou até uma disputa jurídica e, se quiser, contactar a DECO ou outro apoio aos consumidores para ter uma resposta mais sério e ter ajuda real para poder saber o que fazer mais rapidamente, para que você não fique a perder com a operadora que escolheu.